Quer viver mais? Arrume amigos

Exercícios físicos e parar de fumar são considerados passos importantes para viver uma vida longa e saudável, mas um novo estudo sugere uma outra dica para se obter um prolongamento da vida: fazer amigos.

Segundo os pesquisadores, os resultados da pesquisa apontaram que pessoas com relacionamentos sociais fortes aumentaram suas chances de sobrevivência ao longo de um determinado período de tempo em 50%. Resultados que empatam com parar de fumar, e são quase duas vezes maiores do que os benefícios das atividades físicas em termos de diminuir suas chances de morrer precocemente.

Os resultados salientam o quão importante as amizades são para a nossa saúde, dizem os pesquisadores.

 

Avaliando as redes sociais

Os pesquisadores revisaram 148 estudos que examinaram a associação entre relações sociais e mortalidade. Os estudos envolveram mais de 308 mil participantes, e os indivíduos foram estudados por uma média de 7,5 anos.

Os estudos investigaram as relações sociais de diversas maneiras. Alguns simplesmente olharam para o tamanho da rede social de uma pessoa ou mesmo se eles eram casados ou viviam sozinhos. Outros, avaliaram as percepções das pessoas sobre seus relacionamentos como, por exemplo, se elas sentiam ou não que os outros estavam disponíveis para elas. E outros analisaram o quão integradas as pessoas estavam em suas redes sociais ou comunidades.

No geral, altos escores em medidas indicativas de relações sociais fortes foram associados à maior chance de sobrevivência. Tais resultados foram obtidos independentemente da idade, sexo, estado de saúde da pessoa e causa de morte.

Em geral, os estudos que levaram em consideração mais de um aspecto dos relacionamentos de uma pessoa (por exemplo, o tamanho da rede social e o quão integrada uma pessoa estava com essa rede) foram mais bem-sucedidos em predizer mortalidade do que aqueles que só avaliaram uma medida (por exemplo, se a pessoa vive sozinha).

 

Por que amigos trazem tantos benefícios?

Nossos relacionamentos podem influenciar nossa saúde em uma variedade de maneiras. Por exemplo, eles podem nos ajudar a lidar com o estresse – um passatempo mortal.

"À medida que nos deparamos com situações potencialmente estressantes em nossas vidas, mas sabemos que temos pessoas com quem podemos contar ou que podemos recorrer, temos menos probabilidade de sequer perceber a situação como estressante, pois sabemos que podemos dar conta do que está acontecendo", disse Holt-Lunstad. "Mas, digamos que já estamos no meio de algum tipo de evento estressante. Os nossos relacionamentos também podem nos ajudar a lidar com ela e amortecer a nossa reação ao estresse."

Nossas amizades também podem incentivar comportamentos saudáveis (e não saudáveis) que têm um impacto direto no nosso bem-estar. Por exemplo, nossos amigos podem nos encorajar a comer melhor, praticar exercícios, dormir mais ou ir ao médico. As relações sociais também fornecem sentido à nossa vida e podem nos influenciar a cuidar melhor de nós mesmos ou a assumir menos riscos.

A pesquisa sugere que tais relações também são importantes do ponto de vista da saúde pública e que profissionais da saúde podem considerar recomendar ou promover a melhoria das conexões sociais. Hospitais e funcionários também podem tentar envolver seus pacientes em redes de apoio social durante a recuperação, dizem os pesquisadores.

 

Texto Original:

Compartilhar:

By | 2018-02-14T15:53:09+00:00 julho 20th, 2016|Amizade, Relacionamentos, Viver bem|