Quanto mais palmadas maiores são as chances da criança desafiar os pais

De acordo com uma pesquisa realizada por especialistas da Universidade do Texas em Austin e da Universidade de Michigan, quanto mais as crianças levam palmadas, maiores ​​são as chances delas desafiarem seus pais e experimentar comportamento anti-social, agressão, problemas de saúde mental e dificuldades cognitivas.

O estudo, publicado no Journal of Family Psychology, analisou cinco décadas de pesquisa envolvendo mais de 160.000 crianças. Os pesquisadores dizem que é a análise mais completa até o momento dos resultados associados com os efeitos das palmadas.

"Nossa análise enfoca o que a maioria dos americanos reconheceria como palmada e não em comportamentos potencialmente abusivos", diz Elizabeth Gershoff, professora de desenvolvimento humano e ciências da família na Universidade do Texas em Austin. "Descobrimos que a palmada era associada a resultados prejudiciais não desejados e não a um cumprimento mais imediato ou de longo prazo das regras, que são os resultados pretendidos pelos pais quando eles disciplinam seus filhos".

Gershoff e seu coautor Andrew Grogan-Kaylor, professor da Escola de Trabalho Social da Universidade de Michigan, descobriram que a palmada (definida como um golpe de mão aberta nas nádegas ou nas extremidades) estava significativamente ligada a 13 dos 17 resultados examinados por eles, sendo todos eles resultados negativos da palmada.

"O resultado do estudo é que a palmada aumenta a probabilidade de uma grande variedade de resultados indesejados para as crianças. Sendo assim, ela faz o oposto do que os pais geralmente esperam que ele faça ", disse Grogan-Kaylor.

Gershoff e Grogan-Kaylor testaram alguns efeitos a longo prazo entre os adultos que receberam palmadas quando crianças. Quanto mais palmadas eles receberam, mais chances eles tinham de exibir comportamento anti-social e de manifestar problemas de saúde mental. Eles também eram mais propensos a apoiar a punição física para seus próprios filhos, o que demonstra que as atitudes em relação à punição física são passadas ​​de geração para geração.

Os pesquisadores analisaram uma ampla gama de estudos e observaram que a palmada foi consistentemente associada com resultados negativos em todos os tipos de estudos. De acordo com um relatório da UNICEF de 2014, cerca de 80% dos pais em todo o mundo dão palmadas em seus filhos. Gershoff chama atenção que essa persistência na palmada acontece apesar do fato de não haver nenhuma evidência clara de efeitos positivos dessa forma de punição, e de uma ampla evidência de que ela representa um risco de danos para o comportamento e o desenvolvimento das crianças.

Tanto a palmada quanto o abuso físico foram associados com os mesmos resultados prejudiciais, na mesma direção e quase na mesma força."Nós, como uma sociedade pensamos na palmada e no abuso físico como comportamentos distintos", disse ela. "No entanto, nossa pesquisa mostra que a palmada está ligada com os mesmos resultados negativos que o abuso físico, apenas em um grau um pouco menor".

Gershoff também observou que os resultados do estudo são consistentes com um relatório divulgado recentemente pelo Centro para o Controle e Prevenção de Doenças, que exigia "o engajamento público e campanhas de educação e abordagens legislativas para reduzir o castigo corporal", incluindo a palmada, como meio de reduzir o abuso físico de crianças. "Esperamos que nosso estudo possa ajudar a educar os pais sobre os danos potenciais da palmada e levá-los a buscar formas positivas e não-punitivas de disciplina".

Texto Original:

Compartilhar:

By | 2018-02-03T16:16:00+00:00 abril 20th, 2017|Família, Violência|