Relações de longa distância e a idealização

Estar em um relacionamento de longa distância é um fenômeno que muitos indivíduos experimentam pelo menos uma vez em suas vidas. Ao embarcar nessa jornada, muitos tendem a citar o ditado: “A ausência torna firmes as grandes paixões e livra das pequenas”, tanto pelo conforto quanto pela motivação. Pesquisas sugerem que essa afirmação pode conter alguma verdade, e muitos indivíduos em relacionamentos de longa distância relatam maiores níveis de confiança e melhor comunicação do que aqueles de maior proximidade (Jiang & Hancock, 2013). Embora o contato cara a cara seja de grande importância nos relacionamentos, pesquisas sugerem que parceiros de longa distância relatam maiores níveis de satisfação em seus relacionamentos do que casais geograficamente próximos (Stafford & Merolla, 2007).

Uma explicação para isso pode ser o aumento da “idealização romântica” em casais de longa distância; A idealização romântica refere-se a descrever e pensar sobre o relacionamento e o parceiro de maneiras irrealisticamente positivas (Stafford & Merolla, 2007). As relações de longa distância parecem ser a chave para a felicidade, uma melhor comunicação e uma maior confiança, mas uma vez que os membros do casal se aproximam geograficamente, esses efeitos podem mudar (Stafford & Merolla, 2007).

 

A ausência torna firmes as grandes paixões?

Laura Stafford e Andy J. Merolla da Ohio State University decidiram estudar a idealização romântica em relacionamentos de longa distância, em comparação com relacionamentos geograficamente próximos. No primeiro estudo, eles levantaram três hipóteses diferentes: 1) casais de longa distância idealizam o relacionamento mais do que casais geograficamente próximos; 2) casais de longa distância pensam em suas conversas de forma mais positiva do que casais geograficamente próximos; e 3) casais de longa distância experimentam menos comunicação face a face do que os casais geograficamente próximos (Stafford & Merolla, 2007).

Em um estudo contendo 122 casais heterossexuais, com 58 de longa distância, os pesquisadores pediram que os participantes preenchessem vários questionários que examinavam a idealização, as percepções dos parceiros sobre o amor romântico, a satisfação da comunicação e a constância na qual os casais pensam e falam sobre seus passados compartilhados (Stafford & Merolla, 2007).

Neste estudo descobriram que os casais de longa distância de fato tendem a pensar em seus relacionamentos de maneiras irrealisticamente positivas, particularmente em relacionamentos com menos comunicação face a face. Estudos mais recentes (por exemplo, Jiang & Hancock, 2013) concluíram que os casais de longa distância expressam um maior nível de intimidade do que casais geograficamente próximos. Stafford e Merolla (2007) descobriram que casais em relacionamentos de longa distância relatam maior satisfação do que aqueles em relacionamentos geograficamente próximos. Mensagens eletrônicas, bate-papos de vídeo e agendamentos para ver um ao outro pessoalmente podem ajudar a manter a satisfação nesses relacionamentos de longa distância.

Como foi mencionado anteriormente, o contato cara a cara pode ser extremamente importante para manter um relacionamento e embora muitos casais de longa distância relatem maiores níveis de satisfação enquanto separados, o que acontece quando os membros do casal se aproximam?

 

A paixões permanecem firmes quando os casais se aproximam?

Em um segundo estudo, Stafford e Merolla (2007) procuraram os mesmos indivíduos que participaram do primeiro estudo. Os participantes foram convidados a completar pesquisas adicionais, abordando se eles haviam se mudado para mais próximo de seus parceiros e se eles ainda estavam envolvidos com os mesmos parceiros. O estudo revelou que casais que passaram de relacionamentos de longa distância para residir em locais similares eram duas vezes mais propensos a romper o relacionamento, em comparação com os casais que permaneceram em relacionamentos de longa distância (Stafford e Merolla, 2007). Elas também descobriram que os casais com os níveis mais altos de idealização tiveram as maiores taxas de rompimento ao se tornarem geograficamente próximos (Stafford & Merolla, 2007).

Uma explicação para estas rupturas é que os indivíduos não estavam à altura dos padrões impossíveis que os seus parceiros haviam criado enquanto viviam separados (Merolla, & Castle, 2006; Sahlstein, 2006; Stafford, Stafford & Reske, 1990). Outra explicação para o fim do relacionamento dos casais de longa distância ao passar a morar mais próximo é que os membros do casal são estranhos, de certa forma. Durante o tempo em que os casais eram separados pela distância, eles podem ter passado a acreditar que tinham uma compreensão profunda sobre seus parceiros. A distância permitiu que eles ignorassem potenciais falhas e permanecessem inconscientes de mudanças em seus parceiros (Stafford & Merolla, 2007).

Sendo assim, ao se aproximar de um parceiro de longa distância, pode ser útil ter uma discussão sobre o que esperar. Discutir as expectativas do relacionamento com um parceiro pode ajudar a diminuir quaisquer sentimentos negativos que possam ocorrer se essas expectativas não forem correspondidas. Além disso, deve-se tentar manter parceiro ciente sobre mudanças importantes na vida de alguém. Quanto mais um parceiro estiver ciente das mudanças na vida pessoal de seus parceiros, menor será a probabilidade de que elas tragam um impacto negativo no relacionamento mais tarde.

 

O que isso significa para os casais de longa distância?

Nos relacionamentos de longa distância, a falta de comunicação cara a cara pode tornar a relação mais forte e feliz, desde que o casal permaneça de longa distância. No entanto, mais tempo gasto cara a cara pode ser vital para manter um relacionamento de longa distância bem-sucedido uma vez que o casal se aproxime geograficamente. Embora um alto nível de idealização no relacionamento possa ser o beijo da morte para os casais de longa distância que se mudam para mais próximo, um certo nível de idealização em qualquer relacionamento é considerado necessário para o crescimento e a satisfação (Murray & Holmes, 1997). Os relacionamentos de longa distância podem ser difíceis, e se aproximar pode ser mais difícil ainda a longo prazo. Portanto, se você se encontra em um relacionamento de longa distância, é importante passar tanto tempo quanto possível com o seu parceiro. Também é importante tentar ficar positivo, mas não excessivamente positivo, sobre o relacionamento. As percepções sobre o relacionamento devem ser mantidas dentro de limites realistas, com apenas um pouco de fantasia polvilhada em cima.

Texto Original:

Compartilhar:

By | 2018-02-03T16:11:27+00:00 novembro 21st, 2017|Curiosidades, Relacionamentos|