Que idade te deixa mais propenso a tomar decisões de vida importantes?

Que idade te deixa mais propenso a tomar decisões de vida importantes?

À medida em que envelhecemos, estamos propensos a ficar um pouco nervosos antes de um aniversário importante. Basta perguntar a qualquer pessoa que esteja quase chegando aos 30 ou 60. Mas novas pesquisas sugerem que nossos pensamentos sobre entrar em uma nova década podem se traduzir em grandes escolhas que alteram a vida.

De acordo com um novo estudo, as pessoas cujas idades terminam em 9 tendem a ser mais propensas a buscar casos extraconjugais, correr maratonas e a cometer suicídio em comparação com aquelas cuja idade termina em outros dígitos.

Pesquisadores da Stern School of Business da Universidade de Nova York e da Anderson School of Management da Universidade da Califórnia realizaram seis estudos para ver como as pessoas no último ano de seus 20s, 30s, 40s e 50s mudaram seu comportamento e descobriram que as pessoas com 29, 39, 49 ou 59 eram mais propensas do que outras a refletir sobre suas vidas e fazer grandes mudanças.

“Quando as pessoas estão enfrentando essas novas décadas, é que eles começam a dar um passo para trás e questionar essencialmente o significado de suas vidas”, disse o co-autor do estudo Hal Hershfield, professor de marketing da UCLA, que foi treinado como psicólogo social experimental. “Não estamos dizendo que as pessoas não fazem isso em outros pontos de suas vidas. Só que é mais provável que isso aconteça durante as transições da vida”.

Hershfield e seu co-autor, Adam Alter, tiveram a ideia desse estudo enquanto discutiam cartões de saudação e as grandes coisas que as pessoas fazem ao entrar em novas décadas de suas vidas. “Não é como se nada mudasse oficialmente”, disse Hershfield. “Não é como você tivesse se casado ou se você pudesse dirigir agora”.

No entanto, eles queriam estudar quanto significado é atribuído a esses marcos, particularmente para as pessoas a ponto de entrar nos seus 30s, 40s, 50s ou 60s. Então, eles usaram dados dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, bem como dados do site de casos extraconjugais AshleyMadison.com e do site de atletas Athlinks.com.

A análise revelou que homens com as idades 29, 39, 49 e 59 eram quase um quinto mais propensos a se registrarem em um serviço de encontros on-line para pessoas que buscam casos extraconjugais. As taxas de suicídio entre pessoas com uma idade que termina em nove também eram 2,5% maiores do que em outras idades. Mas, em uma nota mais positiva, uma análise de maratonistas de primeira viagem descobriu que aqueles com uma idade que termina no número nove eram um quarto mais propensos a participar do que qualquer outra idade. Além disso, essas pessoas corriam maratonas mais rápido do que as pessoas dois anos mais novas do que elas, o que prova que eles treinaram mais do que os outros.

“As pessoas ficam mais aptas a avaliar suas vidas à medida que uma década cronológica termina e, como resultado, mais propensas a tomar decisões que alteram a vida”, afirmam Adam Alter e Hal Hershfield. “À medida em que envelhecemos, é bom entender essa propensão, então é provável que façamos escolhas construtivas e não destrutivas. Nossa pesquisa sugere que as pessoas que estão perto do final de uma década podem ficar mais propensas a fazer grandes compras (por exemplo, comprar um seguro de vida, investir na poupança da aposentadoria, buscar cirurgia plástica, etc.), e estar ciente dessa tendência pode ajudar os consumidores a decidir se estão tomando tais decisões pelas razões corretas”.

Alter, disse que espera que o estudo faça com que os leitores casuais se apresentem para pensar por que estão fazendo as mudanças em suas vidas. “Em geral, é fácil se prender a grandes marcos, particularmente quando envelhecemos – mas é claro que não há diferença real entre os 30, os 29 ou os 31 anos”, disse ele. “Nossa cultura enfatiza os anos como 30, 40, 50 e 60, mas não devemos deixar essa forma como vivemos moldar as nossas vidas”.

Texto Original:

Compartilhar:

Por | 2018-08-17T19:26:08+00:00 janeiro 8, 2018|Fases da Vida, Mudança|

Deixar Um Comentário