Rotinas diárias fazem a vida parecer mais significativa

Regularidade ajuda a vida ter sentido, é um componente crucial na busca de significado

 

Pense sobre as experiências mais significativas em sua vida. Você provavelmente vai lembrar do seu casamento, ou uma viagem pela Europa, ou a primeira vez que saltou de paraquedas. Você não vai mencionar escovar os dentes. No entanto, pesquisas recentes sugerem que as regularidades mundanas da vida podem contribuir bastante para a sua sensação de sentido na vida.

Por mais bobo que pareça este conceito, o sentido da vida é uma parte importante do nosso bem-estar. Pesquisas têm associado as rotinas com uma boa saúde mental, sucesso no trabalho e longevidade. Os psicólogos têm proposto três aspectos: significado, propósito e coerência. Em outras palavras, a vida é significativa quando ela parece importante, quando parece ter um objetivo e quando faz sentido. Os dois primeiros aspectos têm sido amplamente estudados, mas a contribuição da coerência não foi diretamente testada até 2013, quando os psicólogos Samantha Heintzelman, Jason Trent e Laura King da Universidade de Missouri relataram na revista Psychological Science que até mesmo um padrão visual simples pode gerar um maior significado na vida.

No artigo, 77 indivíduos olharam para 16 fotografias de árvores, ordenadas de forma aleatória ou de acordo com as estações do ano. Aqueles que viram o padrão sazonal relataram que acharam a vida mais significativa do que os outros participantes, como medido por um questionário preenchido logo após a tarefa visual. Outros 229 voluntários olharam para tríades de palavras por alguns segundos de cada vez; algumas tinha conexão semântica (por exemplo, “cadente”, “do mar” e “guia” poderiam fazer par com a palavra estrela); outros não. Aqueles que viram os conjuntos de palavras coerentes também relataram que a vida tinha mais valor do que aqueles que tinham visto palavras aleatórias.

Heintzelman e King relataram no ano passado na American Psychologist que em geral as pessoas acham a vida bastante significativa. “Então, combinando essas duas linhas de pensamento,” Heintzelman diz, “que o significado é comum e que ele pode ser extraído da coerência, começamos a pensar, quais são os aspectos coerentes de nossa vida diária?”

Uma resposta está nas rotinas. Em um trabalho apresentado em fevereiro na reunião anual da Society for Personality and Social Psychology, os pesquisadores pediram que indivíduos completassem cinco labirintos. Para alguns, todos os labirintos tinham soluções semelhantes, induzindo, assim, a um hábito. Esses sujeitos, em seguida, relataram maior significado na vida. Os cientistas também relataram na conferência que eles descobriram que as pessoas que dizem fazer “praticamente as mesmas coisas todos os dias”, de acordo com um levantamento de rotinas diárias, avaliavam a vida como mais significativa.

A noção de que o significado pode ser encontrado em hábitos e padrões mundanos é um pouco surpreendente, Heintzelman diz: “Não é a maneira que temos historicamente pensado sobre o significado da vida. Meio que derruba do seu pedestal.”

Afastando-se de árvores, tríades e labirintos estranhos, Heintzelman sugere que poderíamos encontrar sentido através da manutenção de um escritório arrumado, mantendo uma programação diária, tendo jantares semanais com amigos ou dirigindo a mesma rota todos os dias. “As aplicações são tantas que se perde a conta”, diz ela. A coerência numa vida ordenada também estabelece as bases para busca de objetivos maiores, aspectos, estes, igualmente importantes na busca de propósito e significado.